Rehapoint

Estudo Aprofundado e partilha de informação sobre Tecnologias Assistivas, Cadeiras de Rodas e Sistemas de Input. Apoio no desenvolvimento do Hardware da Framework. Testes Funcionais e com Utilizadores; Análise de Resultados e Configuração Final do Sistema. Divulgação tecnológica. 

É uma empresa dedicada ao desenvolvimento, adaptação e fornecimento de soluções personalizadas de reabilitação e posicionamento para a maximização da qualidade de vida, acessibilidade e integração sociocultural de pessoas com necessidades especiais.

Carlos Bastos
Técnico de Marketing e Técnico de Informática – Instalação e Gestão de Redes. Atualmente, é Diretor Financeiro na RehaPoint, onde faz a gestão e controlo financeiro e contabilidade da empresa, bem como a coordenação das equipas de logística e pós-venda. Também procede à gestão de projetos e projeção de investimentos. Além disso, construiu uma carreira como Gestor de parques informáticos e técnico nas mesmas infraestruturas. Ao longo destas atividades, passou por empresas de diversos setores como BASINTEL, MUNDIMOTOR, INFOPORTUGAL, Grupo RAR e NASAMOTOR.

Tiago Granja
É licenciado em Terapêutica Ocupacional na Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto (2006). Complementou as suas habilitações académicas com diversos cursos/seminários, destacando-se o “Seminário sobre Tecnologias Emergentes na Educação e na Reabilitação”. Com mais de 15 anos de experiência em Terapia Ocupacional, ganhou competências nas várias instituições com que colaborou: Hospital da Prelada; Serviço de Psiquiatria do Hospital S. João; MAPADI; Serviço de Reabilitação do Hospital Magalhães Lemos; Medical Pedagogish Institute na Bélgica; Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental; Mape Vertical; e Mobilitec. Na RehaPoint é  Terapeuta Ocupacional como técnico especialista em posicionamento, acompanhando e avaliando processos de aquisição de sistemas de posicionamento e reabilitação. Possui também valências na intervenção com crianças e adultos com deficiência mental profunda e severa, intervenção precoce da Unidade de Integração em Jardim-de-infância, e colaborador no projeto europeu: “Mentorship Competencies for the Education of the Disabled (MENCODIS)”, que fez parte da Ação Grundtvig 2, do Programa Sócrates.

Pablo Etchegoyen
É licenciado em Ortoprotesia pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (2013), tendo ainda habilitações como Técnico Superior em Administração de Empresas Hoteleiras e Gastronómicas pelo CENCAP Buenos Aires (1999). Adicionalmente, complementou a sua educação com formações como “Elaboração de Ajudas Técnicas em gesso para o Posicionamento Infantil” (Valência, 2013) e “Formador de Formadores” (Madrid, 2014). Na RehaPoint é técnico especialista em posicionamento onde efetua avaliações e acompanhamentos de processos de produtos de apoio, reabilitação e posicionamento.

Bruno Pedroso
É licenciado em Engenharia Mecânica pela Escola Superior de Estudos Industriais e de Gestão do Instituto Politécnico do Porto (2011), complementado por Curso Técnico de Eletricidade e Manutenção e Curso de Formação de formadores. Profissionalmente, exerceu funções de técnico de eletricidade e manutenção ao nível industrial, engenheiro mecânico, formação de jovens e execução de projetos educativos focados em novas tecnologias, chefe de equipa de logística, entre outras. Na RehaPoint, chefia os departamentos de logística e assistência técnica na área da reabilitação e posicionamento. Possui aptidões/competências em AutoCad, SolidWorks e sistemas de gestão como SAGE, SAP e PHC, assim como em pneumática, mecânica, eletricidade e eletrónica.

Luís Santos
É licenciado em Fisioterapia pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto (2016), com um projeto final na área da pediatria intitulado “Efeitos imediatos da Equitação com Fins Terapêuticos no Controlo Postural do Tronco associados ao Movimento de Alcance (alvo distante) em Crianças com Alterações Neuromotoras”. Realizou estágios em unidades de saúde diversas e reputadas, nomeadamente: Neurologia pediátrica na Ass. do Porto de Paralisia Cerebral; Cirurgia torácica no Hospital de São João; Reabilitação em contexto oncológico no IPO do Porto; e Reabilitação cardiorrespiratória na UCC de Leça da Palmeira, todos com avaliações bastante positivas.